Sobre o Plano

O Plano de Assistência e Saúde – PAS existe desde 1974 e é destinado aos empregados e aposentados das empresas do Sistema BNDES e da FAPES e a seus respectivos dependentes. Com uma abrangente e capacitada rede de credenciados para atendimento ambulatorial e hospitalar, na assistência médica e odontológica, o Plano tem, ainda, parcerias com outras empresas que disponibilizam serviços de benefício-farmácia, internação domiciliar e emergências médicas.

 

O Plano de Assistência e Saúde não é contributivo. Suas despesas são totalmente custeadas pelo Fundo de Assistência Médico Social – FAMS, com recursos integralizados pelas empresas do Sistema BNDES.

 

A FAPES é a operadora do Plano de Assistência e Saúde, registrada na Agência Nacional de Saúde Suplementar – ANS sob o nº 33963-6, submetendo-se à regulamentação da ANS.

 

 

Resultados da pesquisa de satisfação dos beneficiários do PAS
 
A cada dez beneficiários, nove estão satisfeitos com o Plano de Saúde administrado pela FAPES. Essa constatação foi obtida por meio de pesquisa realizada em março com titulares e dependentes maiores de 18 anos que utilizaram o Plano nos últimos doze meses. Os resultados foram validados por auditoria independente e serão utilizados na composição do Índice de Desempenho da Saúde Suplementar - IDSS 2018 (ano-base 2017).
 
A pesquisa abordou itens como frequência com que as pessoas buscaram cuidados de saúde, satisfação com a atenção recebida, comunicação com a operadora, atendimento, acesso à rede credenciada e qualidade dos serviços. 
 
A melhor avaliação foi em relação à qualificação do plano, em que 98,6% dos entrevistados consideraram o PAS muito bem classificado. Além disso, 97% das pessoas consultadas recomendariam o plano de saúde para amigos e familiares e 96,7% perceberam um atendimento de boa qualidade. 
 
Perfil dos entrevistados
Os dados foram coletados por telefone com 705 entrevistados, uma amostra estatisticamente dimensionada. A proporção de ativos e aposentados que participaram foi equilibrada, com 51,3% e 48,7% respectivamente. As faixas etárias mais frequentes foram acima dos 60 anos (46,7%) e entre 31 e 40 anos (19%).
 
 
Para saber mais, leia o Relatório Final com os resultados da pesquisa e o Parecer e o Relatório da auditoria independente.