EUA vão excluir Brasil de cobrança de nova taxa sobre o aço, diz autoridade americana de comércio

InícioNotíciasGiro na ImprensaEUA vão excluir Brasil de cobrança de nova taxa sobre o aço, diz autoridade americana de comércio
Os Estados Unidos decidiram excluir o Brasil das taxações sobre o aço e o alumínio, o representante de Comércio, Robert Lighthizer. Segundo ele, a União Europeia, Coreia do Sul, Argentina e Austrália também ficarão de fora da cobrança.
 
Ao falar ante o Congresso, Lighthizer afirmou que as isenções se aplicam "aos parceiros do Tratado de Livre Comércio da América do Norte (México e Canadá). Também à União Europeia. Temos ainda Austrália, Argentina e Brasil, e evidentemente a Coreia do Sul".
 
Durante o anúncio da medida, o presidente americano, Donald Trump, já tinha excluído da cobrança o Canadá e o México e informado que poderia incluir outros países na lista de exceções.
 
Se a decisão de retirar o Brasil e os demais países se concretizar, os Estados Unidos vão deixar de cobrar tarifas dos principais exportadores de aço para o país.
 
Apenas Canadá, Brasil, Coreia do Sul, México e Alemanha somam 52% das importações de aço pelos EUA em 2017, de acordo com dados do departamento de Comércio americano 
 
 
 
Pausa para negociar
 
Lighthizer explicou que o presidente americano, Donald Trump, entende que alguns países merecem ser excluídos da cobrança e que a taxa foi "pausada" durante as negociações bilaterais.
 
"A ideia que o presidente tem é baseada em um certo critério, de que alguns países devem ser excluídos", disse Lighthizer. "Há países com os quais estamos negociando. O que ele decidiu é pausar a imposição das tarifas com relação a estes países", afirmou.
 
No início do mês, Trump anunciou a criação de novas taxas para a importação do aço e do alumínio. Serão cobrados 25% a mais para o aço e 10% a mais para o alumínio. A medida entrará em vigor nesta sexta(23).
 
Na véspera, Lighthizer já havia afirmado que os EUA deveriam iniciar conversas com o Brasil em breve sobre possível isenção das sobretaxas.
 
O presidente Michel Temer chegou a dizer em discurso na véspera que os EUA iriam suspender a sobretaxa do aço para o Brasil. Mas, à noite, o Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (Mdic), ressalvou em comunicado que não havia uma decisão oficial sobre isso.
 
O Mdic divulgou nota na qual informou que o governo Trump "avalia" a não aplicação das sobretaxas ao Brasil e que gesto podia ser interpretado como um" sinal positivo por parte governo norte-americano no sentido de evitar a imposição de sobretaxas".
 
"O governo brasileiro tem feito diversas gestões com os Estados Unidos, a fim de demonstrar que as suas exportações de aço e alumínio para aquele mercado não representam risco à segurança nacional daquele país. O ministro reforça que espera um desfecho positivo, no qual o Brasil não seja indevidamente atingido por restrições comerciais", destacou o MDIC, em nota.
 
* Com France Presse e Reuters
 
(G1)