2 em cada 10 inadimplentes ficaram no vermelho por emprestarem o nome

InícioEducação Financeira e PrevidenciáriaNotícias2 em cada 10 inadimplentes ficaram no vermelho por emprestarem o nome
Homem abre carteira vazia
Fonte: G1 
 
De cada 10 consumidores com o nome na lista de devedores, 2 entraram nessa situação por terem emprestado o nome para outras pessoas, segundo pesquisa divulgada pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL). O estudo mostra ainda que, mesmo após os transtornos gerados, 24% voltaram a emprestar o nome para outras pessoas.
 
Entre os consumidores que emprestaram o nome para outras pessoas, 31% o fizeram para ajudar amigos, e outros 22% para irmãos. “É difícil dizer não a amigos ou parentes, mas é preciso lembrar que talvez essa pessoa esteja pedindo ajuda porque não pôde comprovar sua renda ou então porque não conseguiu pagar uma dívida anterior. Seja qual for o motivo, o risco de que não consiga honrar o compromisso sempre existe”, afirma José Vignoli, educador financeiro do SPC Brasil e do portal Meu Bolso Feliz.
 
O tamanho das dívidas
 
A pesquisa mostra ainda que boa parte das pessoas que emprestam seu nome para outro consumidor sequer sabe o valor do gasto que seria feito por terceiros. 
 
Os que conheciam o valor que seria gasto antes de aceitar emprestar seus nomes foram 49% dos entrevistados. Além disso, em 18% dos casos, a pessoa ajudada gastou mais do que o combinado antes do empréstimo do nome. Outros 32% emprestaram o nome sem saber qual era o valor do gasto. 
 
Quem paga essa conta?
 
Segundo o levantamento, em apenas 3% dos casos de empréstimo de nome a dívida foi liquidada integralmente pela pessoa ajudada. Já os casos em que a pessoa que emprestou o nome pagou a dívida sozinha são 41%. 
 
Em 19% dos casos, a pessoa que ficou no vermelho ao ajudar outro consumidor diz que o devedor sumiu, e não tem como ser cobrado. Em outros 33% dos casos, a pessoa ajudada afirma que não tem dinheiro para quitar o débito. 
 
Em 69% dos casos, a relação entre as pessoas ficou abalada após o transtorno. 
 
O valor médio da dívida de inadimplentes por emprestarem o nome para outras pessoas é de R$ 1.215.