Seguros: como escolher as melhores opções?

InícioEducação Financeira e PrevidenciáriaArtigosSeguros: como escolher as melhores opções?
Seguros: como escolher as melhores opções?

Autor: Reinaldo Domingos

Quando se fala em seguro, um ponto mencionado frequentemente é que acham que é um investimento questionável. Normalmente, isso ocorre em casos como o de pessoas que possuem seguro de carro, porém, nunca tiveram um acidente ou imprevisto. Geralmente, argumentam que se tivessem poupado esse dinheiro, obteriam a quantidade necessária para suportar qualquer imprevisto.

Com certeza, esse questionamento é válido, pois mostra uma preocupação com a correta utilização do dinheiro. Contudo, um seguro vai muito além dos gastos, eles também proporcionam conforto e garantias que, se poupássemos individualmente, não conseguiríamos. Isso somado a uma situação de crescente insegurança e de que podemos cada vez menos contar com o Estado como provedor de questões básicas – como segurança e saúde –, fazem com que a existência de seguros seja praticamente uma obrigatoriedade.

Em vista disso, hoje, o mercado de seguros proporciona uma escala de produtos e serviços cada vez maior, que têm implicações significativas para o cotidiano das pessoas, das empresas e da economia. Isso faz com que esse setor tenha importância para as famílias, protegendo quantidade substancial de ativos e vidas no país e participando de todos os setores da economia nacional.

Como a importância dos seguros é inegável, a questão que fica é como identificar quais são os relevantes para as famílias, diante da grande quantidade de produtos existentes no mercado. Todavia, não existe uma resposta única desta questão, com cada realidade exigindo uma necessidade diferente.

Hoje, o seguro mais utilizado é o de veículos, utilizados em caso de acidentes e roubo; contudo, a contratação deve ser muito bem planejada, já que existem grandes variedades. Buscar apenas pelo seguro mais barato, sem se preocupar com o que está englobado, é um grande erro dos brasileiros.

Assim, deve ser levado em conta em um seguro de veículos, principalmente, a cobertura oferecida, a amplitude da rede de atendimento disponibilizada pela empresa e o valor da franquia oferecida. Se não há muitos riscos de acidente, uma sugestão é a franquia reduzida.

Na hora de pesquisar, é fundamental que se analise detalhadamente se os produtos oferecidos são análogos.

Outro seguro muito relevante, mas que ainda é alvo de muitos erros de interpretações por parte das pessoas, é o de vida, isso porque as pessoas associam ao fato de que não poderão aproveitá-lo, pois será direcionado à família após a morte do segurado.

Com certeza é importante se prevenir deixando para os familiares uma segurança financeira em caso de uma fatalidade. Todavia, esse seguro nos dá muitas outras garantias, além disso, sendo importante para a vida, pois garantirá ao segurado e sua família segurança financeira em caso de invalidez, por acidente ou doença.

Além desses também existem seguros relevantes como o patrimonial, riscos financeiros e de responsabilidades. Assim, para definição de quais seguros se deve ter, é necessário ter o controle de sua vida financeira, sabendo o que realmente é prioridade. Também sempre recomendo que se faça um seguro de vida e saúde.

Por fim, o ponto que fica é em relação à escolha dos seguros. Sempre aconselho que, antes de qualquer opção, se faça uma ampla pesquisa no mercado, analisando as melhores opções existentes; contudo, não se deve apenas pensar nos valores. Um conceito importante existente na educação financeira é a relação do custo-benefício dos produtos adquiridos.

A decisão de um seguro é estratégica e nunca deve ser tomada por impulso, assim, leia atentamente as propostas e os contratos, dando grande ênfase aos pormenores. Pesquise também a idoneidade das empresas com que está negociando, o que pode ser feito junto a Superintendência de Seguros Privados (www.susep.gov.br/), Procon ou sites de reclamações de consumidores. Uma importante dica é buscar junto a entidades e grupos que participa (sindicatos, associações de classe, fundações, etc.) se esses não possuem parceria com seguradores com planos especiais, o que garantirá, com certeza, boa economia.

Enfim, o seguro é um ponto primordial na vida das famílias, mas a sua aquisição não deve ser feita de forma impulsiva, devendo utilizar sempre os preceitos da educação financeira, que propõem a busca dos produtos e serviços mais qualificados ao menor custo.